Principal > Cultura > Notícias
Português العربية
publicidade
    Monday, November 18, 2019
ArabesQ
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


Mídia contraditória acusa Miss EUA de ser striper e radical islâmica

 Imprimir Arabesq | 20/05/2010 A | A
Publicidade
Consciencia Jeans

Passados menos de 24 horas após ser eleita Miss Estados Unidos, a jovem de 24 anos Rima Fakih, que em primeiro momento foi considerada o símbolo da diversidade e tolerância nos Estados Unidos, passou a enfrenta acusações contraditórias ao extremo pela mídia norte-americana contestando o seu título.

Enquanto sites judaicos acusavam a imigrante libanesa de estar ligada a grupos extremistas religiosos xiitas no Líbano, tendo entre seus parentes membros do Hezbollah, a mídia americana acusava-a de vulgaridade mostrando imagens de sua participação em um concurso de strip-tease nos Estados Unidos.

Extremista islâmica

O portal "Jewish Internet Defense Force" (Força de defesa judaica na internet) atacou a jovem dizendo que "era um dia obscuro para os EUA" por conta do triunfo de Rima, que foi acusada pelo grupo de apoiar o fundamentalismo islâmico.

A advogada e comentarista política Debbie Schlussel chegou inclusive a afirmar que a própria miss era uma defensora das atividades do grupo armado. "Fontes de inteligência confirmam que pelo menos três parentes de Fakih são atualmente dirigentes do Hezbollah, e que pelo menos oito membros de sua família foram terroristas do Hezbollah mortos por Israel nas últimas guerras entre Israel e Líbano".

Striper

Por outro lado fotos reveladas pelo site da rádio MojointheMorning mostram Rima Fakih, em poses consideradas “pouco consentâneas” com os apertados critérios da organização do Miss America, liderada pelo milionário Donald Trump.

"Temos algumas fotos que ainda não foram divulgadas mas não as vamos enviar à organização. Quando perguntámos se isto poderia tirar-lhe a coroa disseram-nos que não podiam fazer comentários", disse um representante do site MojointheMorning, alegando que as vestimentas e pouses usadas pela jovem no concurso de strip-tease não mostram nada a mais das usadas no Miss Estados Unidos.

Realidade

Rima Fakih foi escolhida Miss EUA por um júri de celebridades, incluindo o empresário Donald Trump, que é um dos organizadores da competição. Rima participou e ganhou o concurso de beleza representando o Estado de Michigan, para onde se mudou com sua família em 2003 após crescer em Nova York, onde estudou em uma escola católica apesar de a sua família ser de origem muçulmana.

Primeira Miss EUA de origem árabe, Rima explicou aos organizadores que a sua família celebra tanto as festas cristãs quanto as muçulmanas. "É algo histórico", declarou Imad Hamad, diretor regional de uma organização que luta contra a discriminação aos árabes-americanos (AAADC).

“Ao crescer, a minha mãe (Nadia) e a minha família me mostraram que o que temos dentro de nós é mais importante do que o exterior” disse Rima em entrevista ao jornal Arab-American.

“A minha família me ajudou a pagar as despesas para participar dos concursos, eu tive que vender o meu carro por 1200 dólares, dos quais usei 1100 para pagar as despesas e com os outros 100 convidei a minha mãe para um restaurante japonês”.

Rima nasceu na pequena aldeia de “Sarifa” no sul do Líbano de onde emigrou ainda criança com seus familiares em busca de uma vida melhor.

É diplomada em economia e queria ser advogada. Seus hobbies são viajar, dançar e fazer kickboxing, segundo os organizadores do concurso.

 Imprimir

No momento não temos comentário, entre com o primeiro comentário aqui...
E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Rima Fakih, Miss EUA 2010 Rima Fakih, Miss EUA 2010
Rádio Arabesq

VEJA TAMBÉM
MAIS VISTOS

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.