Berlin recusa retornar busto de Nifertiti ao Egito

Receita de Berlin recusa retornar busto de Nifertiti ao Egito

A | A
Uma crise diplomática reacendeu entre Egito e Alemanha sobre o busto de 3.000 anos da rainha Nefertiti de valor inestimável, que está retido por um museu de Berlim há décadas.

Uma crise diplomática reacendeu entre Egito e Alemanha sobre o busto de 3.000 anos da rainha Nefertiti de valor inestimável, que está retido por um museu de Berlim há décadas.

O artefato de fama mundial, que leva um milhão de visitantes por ano ao museu Neues, é um dos mais cobiçados tesouros faraônicos do país árabe de onde foi retirado ilegalmente durante o período colonial.

Egito afirma que o busto foi obtido pelo museu de modo ilegal e tem pressionado há 50 anos pelo seu retorno ao país africano.

"Pedimos que este tesouro único seja devolvido à posse dos seus legítimos donos, o povo egípcio", disse Zahi Hawass, chefe do Supremo Conselho de Antiguidades do egitoe, em um comunicado esta semana.

Berlim, se recusa terminantemente a devolver o artefato, alegando que está legalmente na Alemanha e é frágil demais para ser movido.

"A posição da Fundação sobre o retorno de Nefertiti permanece inalterada", afirmou o professor Hermann Parzinger, diretor da Fundação do Patrimônio Cultural Prussiano, que dirige o museu Neues. "Ela é e continua a ser a embaixadora do Egito em Berlim."

O busto esta em exposição em Berlim desde 1923, após uma década da sua descoberta pelo arqueólogo alemão Ludwig Borchardt em Amarna

Egito garante que falsos documentos foram usados para retirar o objeto do país em 1912.