Principal > Cultura > Especiais
Português العربية
publicidade
    terça-feira, 19 de setembro de 2017
ArabesQ
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


A MULHER NO ISLÃ - Por Roberto Ganem

 Imprimir | 27/04/2012 A | A
Publicidade
Consciencia Jeans


Condensado do livro de Sharif Abdul Azim (PHD – Queens University Canadá)

As ilustrações feitas por Roberto Ganem lembram como que a mulher coberta com o véu pode parecer fascinante ao homem ocidental e como também certas mulheres claras (ocidentais) despertam um incontrolável desejo nos árabes que habitam os países norte africanos.

  As Mulheres No Islã - Por Roberto Ganem

Acredita-se no ocidente, que o Islã é o símbolo da subordinação das mulheres por excelência.
E para comprovar isto basta lembrar que o ministro da educação da França, recentemente, ordenou que fossem expulsas das escolas francesas todas as jovens muçulmanas que vestissem o Hijab!
Na França é negado a uma jovem muçulmana, que usa um lenço, o direito à educação, enquanto que estudantes católicos podem usar uma cruz ou um estudante judeu pode usar o solidéu.

O legado de Eva

A imagem de Eva na bíblia, como uma mulher sedutora, teve um impacto extremamente negativo para as mulheres através da tradição judaica-cristã.

Acreditava-se que todas as mulheres haviam herdado de sua mãe, a bíblica Eva, tanto a culpa como sua astúcia.

Conseqüentemente, as mulheres não eram dignas de confiança, por serem moralmente inferiores e de má conduta. Menstruação, gravidez e parto eram considerados punições justas para uma culpa eterna do amaldiçoado sexo feminino.

Na bíblia encontramos inúmeras reafirmações disto que acabamos de mencionar. Mesmo santo Agostinho dá sua contribuição no sentido de piorar ainda um pouco esta situação:

- "Qual é a diferença, seja uma esposa ou uma mãe, ainda assim é da Eva tentadora que devemos nos precaver em qualquer mulher".

Porém, se voltarmos nossa tenção para o que diz o Alcorão sobre as mulheres, logo percebemos que a concepção Islâmica sobre elas é radicalmente diferente daquela encontrada no conceito judaico-cristão,

O Alcorão jamais menciona que a mulher é a porta de entrada para o mal ou que ela é uma enganadora por excelência. Ele instrui aos crentes a seguirem o exemplo de mulheres especiais como foi a virgem Maria e a esposa do faraó.

A Mulher No IslãBens da Esposa

Pelas leis canônicas e civis, uma mulher casada na Europa cristã e na América, até o final do século XIX, perdia os direitos a sua propriedade.

A esposa não apenas perdia sua propriedade após o casamento, como perdia também sua personalidade. Era praticamente tratada como uma criança aos olhos da lei.

Já o Islã garantiu às mulheres casadas personalidade independente, conquista essa que as mulheres ocidentais se viram privadas até muito recentemente.

No Islã, a noiva e sua família não têm nenhuma obrigação de presentear o noivo. Não é permitida a participação do marido na propriedade de sua esposa, a não ser que ela a ofereça a ele por sua livre e espontânea vontade.

Divórcio

As três religiões possuem acentuadas diferenças a respeito do divórcio. O Cristianismo, por exemplo, abomina completamente esta solução. O novo testamento advoga a indissolubilidade do casamento.

Este ideal intransigente é sem duvida bastante irreal. Ele pressupõe um estado de perfeição moral que as sociedades humanas jamais alcançariam.

Quando um casal percebe que sua vida conjugal não tem mais jeito, negar o divórcio em nada irá ajudá-los. Forçar casais que não se dão bem a viverem juntos contra suas vontades produz tão somente um efeito desastroso.

O "TALMUD" registra suas diferentes opiniões.
Pela escola de Hillel, um homem pode divorciar-se de sua mulher mesmo que ela tenha simplesmente quebrado um prato. O Rabino Akiba diz que o homem pode divorciar-se unicamente porque ele encontrou uma mulher mais bonita que sua esposa.

O Islã ocupa o meio termo entre o Cristianismo e o Judaísmo, com relação ao divórcio.
O casamento é uma benção que não deve ser quebrada, exceto por razões relevantes.
Os casais são instruídos a buscar todos os meios possíveis sempre que seus casamentos estiverem ameaçados.

Diz o Alcorão Sagrado:
“Se não houver mesmo qualquer outra saída, deveis separar-vos dignamente e com benevolência”.

Poligamia

A bíblia não condenou a poligamia. Dizem que o rei Salomão teve 700 esposas e 300 concubinas.
Os judeus orientais praticavam regularmente a poligamia até a chegada a Israel, onde ela foi proibida por lei. Contudo, na lei religiosa, que sobrepuja a lei civil, esta prática é permitida.
O Alcorão limitou o número de esposas a 4, sob a estrita condição de que elas sejam tratadas com igualdade e respeito.

Isto não deve ser entendido como uma exortação a que os crentes pratiquem a poligamia, ou que esta seja considerada como um ideal.

O fato é que há lugares e épocas em que razões morais e sociais compelem à poligamia.
Em muitas sociedades a

 Imprimir
Roberto Ganem
Escritor e artista formado em arquitetura na USP e artes plásticas na Associação Paulista de Belas Artes.


COMENTÁRIOS
 
Jerusa Hawass 15/05/2012 02:26:15
Olá achei a matéria ótima, infelizmente as pessoas que criam sites desperdiçando seu tempo em falar do Islã, não fazem questão de ler,e especulam tanto a respeito da mulher islâmica. Queria tanto saber do que a mídia tenta nos libertar eu como muçulmana convertida ainda não consigo entender essa tal liberdade que querem nos dar, pois sinceramente minha liberdade encontrei no Islam, meus direitos minha família ,minha fé minha vida, pois sou livre para falar ter meu próprio negocio e vale salientar sou muito mas muito feliz em ser muçulmana. Deveriam lembra se como senhor Roberto Ganem citou sobre os direitos das mulheres Cristãs,e muitas mulheres também cristãs eram proibidas de assistir a missa sem cobrir os cabelos, etc.. mas bem a matéria está linda . Parabéns

fatima 09/07/2012 16:59:01
Parabéns pela matéria! Infelizmente os ocidentais em grande parte não conhecem a religião e só fazem criticar. E a mídia em sua maioria também não ajuda em nada.

MARTA ELENA DA SILVA 17/07/2012 19:16:37
GOSTEI DE SABER SOBRE OS DIREITOS DAS MULHERES NO ISLÃ.SOU CRISTA PROTESTANTE SALOMÃO TEVE 300 CONCUBINAS MAIS NO VELHO TESTAMENTO. NO NOVO ISSO NÃO É ACONSELHÁVEL CRISTO NOS DÁ O DIREITO DE NOS CASAR DE NOVO EM CASO DE VIÚVES.SOMENTE!AMAR OU NÃO AMAR É UMA ESCOLHA DE CADA UM DE NÓS...

E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
A MULHER NO ISLÃ - Por Roberto Ghanem A MULHER NO ISLÃ - Por Roberto Ghanem
Rádio Arabesq

VEJA TAMBÉM
MAIS VISTOS

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.