Origem e desenvolvimento da língua Árabe

Receita de Origem e desenvolvimento da língua Árabe

A | A
Muito se discute sobre a origem da língua dos árabes, leia neste artigo o que se sabe de uma das línguas mais faladas no mundo

Nos dias atuais, são denominados “Árabes” os países nos quais a população fala o idioma árabe, totalizando 22 países que tem o árabe como idioma oficial, desde o oceano atlântico e norte da África, até a parte oriental do Mar Mediterrâneo e Golfo árabe.

Muitos cientistas tentaram determinar os primeiros “falantes” da língua árabe, mas não consentem em determinar o tempo e lugar exato de origem do idioma ou os primeiros a falar árabe.
Os cientistas concordam que se trata de uma das antigas “línguas mães”, como o Aramaico e Cananeu, e alguns acreditam que “arabizados” foram os primeiros a falarem árabe, e denominarem o idioma de língua de árabe. Havia quem considerasse o árabe como sendo a língua falada no paraíso ou a língua de Adão, que remota ao princípio da criação. Outros já afirmam que Ismael, filho de Abraão, do qual descendem todos os árabes, foi quem primeiro falou árabe quando tinha 14 anos de idade.

Falta a estas opiniões documentação histórica, evidências ou provas que os dêem respaldo histórico e científico, são todas teorias e toda teoria tem seus pontos fracos, e as lacunas não preenchidas até agora, se devem a escassez de referências e evidências arqueológicas deixadas pelos árabes e demais habitantes da península arábica.

O primeiro texto escrito em árabe foi descoberto em gravações em pedras (Al manara) na Síria e remota ao ano de 328.

Se os pesquisadores discordam em determinar o local e data do nascimento da língua, são unânimes em afirmar que não se tratava de uma língua única antes do aparecimento do Islamismo, mas uma variedade de línguas que convergiam algumas vezes para dialetos, sendo às vezes a diferença entre elas tão grande que dificultava a comunicação entre os falantes destas línguas.
Pesquisadores com base em métodos científicos da lingüística, classificaram a língua árabe em “duas línguas”, das quais surgem variados dialetos. As duas variações são denominadas “língua árabe do sul” e “língua árabe do norte”, que tinham diferenças marcantes entre si, tanto que Abu Omar Bin Alaa (675), do grupo que falava a língua do norte, disse: “a língua de (alhmer), não é árabe como nosso árabe”, “alhmer” ou (os Burros), era uma referência à região do Iêmen , local onde havia muitos animais da espécie.

Os pesquisadores argumentam que a língua do sul, se aproximava mais das línguas da Abissínia e Acádia , enquanto a do norte mais próxima ao Aramaico, Assírio e Nabateu, o que os faz acreditar que não havia uma língua árabe específica, mas uma variedade de dialetos falados pelas tribos e clãs da península Arábica e foram denominados de (Árabe).

Como as demais línguas, o árabe foi sofrendo grandes mudanças e evoluindo através de centenas de anos. Antes do islamismo, e por curto período, a língua árabe usada no norte da península arábica foi denominada de “Mudar” substituindo outros dialetos árabes mais antigos. Enquanto que a língua árabe do sul, foi conhecida como “Jumeirah”.

Por volta do primeiro milênio (d.C), surgiu o “Quraysh”, da tribo do profeta Maomé (Mohammad) e a língua da tribo “al rabiah” e a da “Qadhah”, são dialetos próximos entre si e compreendidos mutuamente.

O islamismo veio para imortalizar a língua árabe de “Quraysh”, na qual foi revelado o Alcorão, que a tornou a língua árabe clássica desde o aparecimento do islamismo até aos dias de hoje.

 
A escrita árabe:

A língua árabe antiga era escrita em caracteres “musnadi” e “tamudi” , até passar a ser usada a escrita da caligrafia dos Nabateus com a difusão da língua árabe moderna. As gravações mais antigas desta caligrafia foram encontradas na Síria, são chamadas gravações de “Al Namara” do ano de 328.

No período pré Islâmico a escrita do árabe foi diferente da atual, usando outras caligrafias modernas da língua de “Mudar” como a caligrafia Al-Hiri e Al-Anbari, e quando do surgimento do islamismo a escrita usada em “Quaraysh” era a Nabatéia, a mesma usada pelo profeta Maomé para escrever aos reis e governadores da época, no entanto, a escrita Nabatéia e a árabe moderna possuem importantes diferenças. As mais antigas gravações descobertas neste estilo Nabateu foram as gravuras de “zeid” e “Omm AL Jamal” que datam dos anos 513 e 568 d.C.

Com o aparecimento do Islamismo, a língua árabe passou por um intenso desenvolvimento, especialmente no governo Omíada, quando “Abo Aswad Al-Dwali” iniciou a pontuação da escrita, que até então não existia. O Califa Abdul Malek Bin Arwan, ordenou a acentuação da escrita, portanto, foi convencionado o ponto acima da letra como sendo “fatha”, abaixo “Kassra” e à esquerda “Dammah”. Com o desenvolvimento da acentuação, convencionou-se a letra “Alef” ( ? ) pequena sobre a letra como sendo “fatha”, a letra “Yah” (?) pequena para “kassra” e a letra “waw” (?) pequena para “Dammah”, e assim, até a evolução da escrita para como é hoje.

Algumas características da língua:

O Alfabeto árabe possui 28 letras, e é escrito da direita para a esquerda, interligando as letras, com espaçamentos entre as pal

Arabesq
Textos assinados pelo portal arabesq são resultados de pesquisas realizadas pela equipe de pesquisadores do Portal Arabesq
pesquisa@arabesq.com.br