Principal > Cultura > Especiais
Português العربية
publicidade
    Monday, December 16, 2019
ArabesQ
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


A Sexualidade no Mundo Árabe

 Imprimir Tammam Daaboul | 11/08/2008 A | A
Publicidade
Consciencia Jeans

Raramente a mídia árabe abordava assuntos relacionados ao sexo e à religião, muitas vezes considerados tabus especialmente pelas mídias estatais, maioria no mundo árabe, muito distantes dos assuntos de interesse das sociedades.

Com a proliferação dos meios de comunicação privados, começaram a surgir iniciativas que abordam tais temas entre outros relacionados à vida política e social, gerando inclusive mudança no comportamento de algumas mídias estatais.

A TV Síria estatal, por exemplo, tem mostrado clara tendência em renovar estratégias de comunicação adotadas por muitas décadas, ao lançar programas que discutem questões como os da sexualidade e da educação sexual, permitindo a participação de especialistas, professores universitários e até mesmo homens, mulheres e jovens no debate sobre a inclusão da educação sexual nas matérias escolares.

Este tipo de iniciativa tem um papel importante abrindo caminho aos jornalistas e acadêmicos na discussão desses temas. Mas o foco de todos os meios de comunicação, públicos e privados, na política distanciou novamente as chances de abordar e debater a sexualidade, a não ser quando usada como atrativo, ao modo ocidental, para aumentar as audiências sem a devida seriedade que o assunto merece.

No entanto com a proliferação dos meios de comunicação eletrônicos, web sites, e especialmente os fóruns de internet, surge o real debate e iniciativas que tratam dos tabus com seriedade. Numa destas discussões o Dr. Naim Hilana, especialista no assunto, defende que “a falta de educação sexual no sentido abrangente leva a uma série de doenças psicológicas, e reflete negativamente em todas as práticas da comunidade e do indivíduo, permitindo a prevalência do estupro e da prostituição, levando à frustração e interferindo nas relações conjugais”.

Para a jovem Hilana “o conceito de educação sexual deve incluir o estudo dos sentidos e emoções ao lado do estudo do corpo humano, a fim de estudar o sistema reprodutivo... As escolas nos países árabes omitem conhecimentos aos estudantes sobre conceitos abrangentes do sexo”.

A Sra. Nidal al-Kudari debate dizendo “a educação sexual não deve se tornar apenas uma matéria que faz parte do estudo do aluno, mas é uma cultura de vida, Indo além do processo educativo, envolvendo a composição da sociedade e de seu comportamento no que diz respeito aos sexos, para que esse assunto não pertença apenas ao sexo masculino”. 

Para Rahaf Al-Muhanna “a mídia árabe tem publicado falsas noções de coisas muito sensíveis como o conceito de sexo, salientando que a atual geração criou conceitos errôneos sobre o sexo, muito distantes da sua realidade, já que eles se baseiam apenas na televisão, nos canais pornográficos e nas canções de baixo nível”.

A advogada Maysaa Helewa, acredita “na necessidade da educação sexual para crianças, especialmente, antes da puberdade, para reduzir o risco de gravidez de adolescentes e os riscos do casamento precoce”. Ela ainda disse, que “o objetivo da educação sexual é o de ensinar às crianças a respeitar o seu corpo e preservá-lo, porque quem respeita o próprio corpo também o valoriza”. Atribuindo um valor importante aos Ministérios da Educação como arma de luta contra os canais pornográficos, afim de proteger os adolescentes da exposição a situações perigosas, como o estupro, homossexualismo e gravidez extraconjugal.

A jovem Darren confidenciou que “as relações em sociedades orientais são superficiais e cheias de suspeitas, porque elas se baseiam na idéia de que o homem “macho” é predador das mulheres "fêmeas". E se as mulheres perderem a virgindade passam a ter pouco valor e a não existir mais na sociedade, como se sua existência dependesse de uma única parte de seu corpo”.

Outros debatedores, acreditam que apesar das criticas ferozes à forma atual do comportamento e da educação sexual, é importante a consciência de que com alguns valores sociais e “tabus” sexuais, há benefícios importantes no mundo árabe, como o baixo índice de doenças sexualmente transmissíveis e baixo nível de natalidade extraconjugal, se comparados aos países ocidentais com liberdade sexual.

É essencial a discussão destes temas permitindo a diversidade e a liberdade de opinião ao lado da defesa dos direitos das mulheres, pois a globalização e a facilidade de transmissão de informação trouxeram, ao lado dos benefícios, diversos pontos negativos, como a exposição a outras culturas com valores muito diferentes que visam atrair audiências e lucros cada vez maiores, com o uso indiscriminado do sexo, e da imagem que não faz jus à mulher.

Por isso é importante que os debates sejam tratados de forma séria e cientifica, levando em consideração o estudo do comportamento social e seus valores culturais ao lado do impacto da religião nos mesmos, procurando conceitos que se adéqüem a estes fatores sem importar soluções prontas de outras regiões que podem danificar seriamente importantes valores na sociedade árabe.

 Imprimir
Arabesq
Textos assinados pelo portal arabesq são resultados de pesquisas realizadas pela equipe de pesquisadores do Portal Arabesq
pesquisa@arabesq.com.br


COMENTÁRIOS
 
claudia 8/12/2008 8:28:50 AM
Nossa, adorei esta noticia. achava que os arabes nem falavam dessas coisas

Rosilene 8/14/2008 3:58:56 PM
Gostei da iniciativa. Em que o povo arabé coclui,que é bom saber um pouco mais sobre educação sexual.É as vezes, é melhor saber com pessoas experientes e que entendam do assunto, achei super interessante.tchau.e até logo.

Arnaldo Carrilho 9/12/2008 5:30:06 AM
Não apreciei nem um pouco o texto acima. A cultura árabe nada tem a ver com os estereótipos ocidentalizantes e nem convém compará-la a esses quase-preconceitos. Os árabes e as árabes sabem o que fazem, nesse setor vital do ser humano, e podem dar lições a respeito nas cabecinhas miúdas dos (des)civilizados da Razão Dominadora. O que acima está escrito é uma bobagem. Enorme.

E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Rádio Arabesq

VEJA TAMBÉM
MAIS VISTOS

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.