“Massacre” de empresas do Golfo no último trimestre de 2008

Receita de “Massacre” de empresas do Golfo no último trimestre de 2008

A | A
Os prejuízos das corporações do Golfo somaram 5,7 bilhões no último trimestre de 2008, o setor financeiro na região teve os lucros reduzidos em 88%.

Com a intensificação da crise financeira cresceu o pessimismo sobre as perspectivas no desempenho das empresas do Golfo Árabe no último trimestre do ano passado, mas os resultados foram ainda mais negativos do que o previsto para algumas industrias na região.

Dados do Banco de Investimentos do Kuwait demonstram que o setor financeiro na região teve os lucros reduzidos em 88% no último trimestre de 2008, já o setor imobiliário sofreu queda ainda maior, 96% no mesmo período, em comparação com 2007.

Os prejuízos das corporações do Golfo somaram 5,7 bilhões no último trimestre de 2008, sendo que os lucros obtidos no mesmo período de 2007 ultrapassavam os 13,3 bilhões de dólares.

Em depoimento para o jornal Financial Times, o Presidente Regional da ING Investment Management, Fadi AL-Said, descreveu os resultados de “massacre” para algumas empresas da região árabe.

A reação dos investidores diante a situação derrubou o mercado acionário regional em 17% só este ano, de acordo com o índice da MSCI para os países do CCG. (Conselho de Cooperação do Golfo).
 

Expectativas pessimistas para 2009

O jornal acredita que as perspectivas para o resto do ano parecem pessimistas, com previsões de quedas adicionais de 9 ou 10%.

Muitos analistas esperam prejuízos nos fundos de investimento e a impossibilidade de reembolsar os empréstimos, capital no mercado de ações, responsáveis pelo fluxo de recursos para os mesmos.

"Não veremos a recuperação do mercado de ações até haver o retorno do fluxo de liquidez nos bancos." Garante o Chefe da Bolsa de Valores de Abu Dhabi, Tom Healy,

O Analista na Instituição Hermes de investimento Fahd Iqbal defende que a recuperação só começará no último trimestre de 2009.

Com Financial Times