Principal > Islamismo > A Fé Muçulmana
Português العربية
    terça-feira, 17 de outubro de 2017
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


Fontes da Jurisprudência Islâmica (Sharia)

 Imprimir Arabesq | 27/01/2010 A | A
Publicidade
Consciencia Jeans

A Sharia reconhece quatro fontes “Usul” para a jurisprudência: O Alcorão; Os Ahadith: A Analogia Legal “Quias”; e o consenso “Ijma”.

O Alcorão:
- Saiba mais sobre o Alcorão sagrado

A conduta do profeta (Sunna):
Ahadith são os exemplos de conduta do profeta Maomé SAAS extraídos dos ditos do profeta aos seus companheiros.

O papel do Profeta, foi exposto no Alcorão, "(Enviamo-los) com as evidências e os Salmos. E a ti revelamos a Mensagem, para que elucides os humanos, a respeito do que foi revelado, para que meditem." (16:44).

A explicação do alcorão é obtida através das palavras do Profeta, ações e exemplos. Seguir a orientação e o exemplo do Profeta, foi tornado obrigatório, "Ó fiéis, obedecei a Deus, ao Mensageiro e às autoridades, dentre vós! Se disputardes sobre qualquer questão, recorrei a Deus e ao Mensageiro," (4, 59) e o próprio Profeta instruiu, "Eu deixei duas coisas que se você seguir, não será equivocado: o Livro de Deus e meu exemplo". [Relatado por Hakim e Malik]

O Consenso dos Escolares Islâmicos (Ijma)
A base para que o consenso de estudiosos islâmicos seja uma fonte de legislação é previsto no Alcorão para resolver as questões por meio de consulta, como Deus disse: "Que atendem ao seu Senhor, observam a oração, resolvem os seus assuntos em consulta e façam caridade daquilo com que os agraciamos" (42:38) o consenso dos sábios é definido como sendo o acordo de todos os estudiosos muçulmanos ao nível do raciocínio jurídico (ijtihad). Uma vez alcançado um consenso entre todos os estudiosos, a decisão será considerada parte da jurisprudência. O principio se baseia na idéia de que Deus permitiria que um muçulmano esteja errado, mas em sua bondade nunca permitirá que toda a comunidade erre. Um dito do profeta “Hadith” diz: “minha comunidade nunca acordará sobre um erro”.

A Analogia Legal (qiyas)
A Analogia jurídica é uma ferramenta poderosa para obter decisões sobre novos elementos. Por exemplo, as drogas têm sido consideradas proibidas para o muçulmano por analogia jurídica da proibição do álcool que é estabelecida no Alcorão. Tal decisão baseia-se na causa subjacente comum de intoxicação.

A Analogia legal e suas diversas ferramentas permite que os juristas usarem a razão para compreender as causas para as decisões no Alcorão e os exemplos proféticos (Sunna). Isso ajuda quando se trata de situações humanas em constante mudança e permite obter novas decisões no código de conduta a serem aplicados mais adequadamente e de forma consistente.

« Anterior Sharia - Além do ritualismo »

 Imprimir
Arabesq
Textos assinados pelo portal arabesq são resultados de pesquisas realizadas pela equipe de pesquisadores do Portal Arabesq
pesquisa@arabesq.com.br

COMENTÁRIOS
 
khalil onaissi 29/01/2010 21:59:10
nada alem da verdade que e eterna deus e a verdade somos criaturas ingratas e mal agradecidas não oferecemos nada sem pedir algo a deus isso mostra como somos pequenos

E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Rádio Arabesq
Relacionados
+ Populares - Islamismo

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.