Principal > Política > Notícias
Português العربية
    Saturday, March 06, 2021
ArabesQ
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


EUA jamais estarão em guerra contra o Islã, diz Obama

 Imprimir EFE | 11/09/2010 A | A
Publicidade
Consciencia Jeans

O presidente americano, Barack Obama, declarou neste sábado que os Estados Unidos "jamais" estarão em guerra contra o Islã. Obama participa, no memorial do Pentágono, em Washington, de uma cerimônia de homenagem às vítimas do atentado de 11 de setembro, que completa nove anos hoje.

"Como americanos, não estamos e jamais estaremos em guerra com o Islã", disse Obama. "Nós não fomos atacados por uma religião naquele dia de setembro. Foi a Al-Qaeda, um grupo infeliz de homens que desfiguram a religião", destacou o presidente.

Em paralelo à cerimônia da capital americana, a primeira-dama, Michelle Obama, e sua antecessora, Laura Bush, participam de outro ato em Shanksville, na Pensilvânia, onde caiu o quarto avião sequestrado e que não chegou a seu destino graças à ação dos passageiros.

O vice-presidente, Joe Biden, foi a Nova York para participar da cerimônia realizada no Marco Zero, onde ficavam as Torres Gêmeas.

Obama aproveitou seu discurso no Pentágono para mandar uma mensagem de união e tolerância religiosa, depois da proposta do pastor radical da Flórida, Terry Jones, de queimar exemplares do Corão, que provocou uma forte polêmica e suscitou a ira do mundo muçulmano, e a controvérsia pela construção de uma mesquita no Marco Zero.

"Nós condenamos a intolerância e o extremismo no mundo todo, e defendemos os direitos fundamentais de todos os homens e mulheres, inclusive o direito de praticar livremente sua religião".

O presidente reconheceu que algumas pessoas querem aproveitar a dor pelos ataques de 11 de setembro "para estender o ódio e criar divisões". Mas "nós não sacrificaremos a liberdade que conquistamos", acrescentou.

Obama disse que as cerimônias do 11 de setembro devem servir para a "reflexão" e para lembrar que é preciso trabalhar pela união dos americanos. "Como nação, como indivíduos, devemos refletir sobre como podemos fazer uma homenagem melhor às vítimas dos ataques", afirmou.

"Não devemos olhar muito longe para obter resposta. Os que perpetraram aquele ato, não só atacaram os EUA, atacaram a ideia dos EUA, tudo o que o país representa no mundo", assegurou.

"A melhor homenagem que podemos fazer, nossa melhor arma, o que mais temem nossos adversários, é seguir sendo o que somos, renovar nosso propósito comum, seguir defendendo a personalidade da nossa nação", afirmou.

 Imprimir
COMENTÁRIOS
 
Edmundo 9/11/2010 8:07:18 PM
Confundir terroristas com muçulmanos é uma grosseria sem limites. Bush inventou uma mentira e invadiu o Iraque provocando a destruição deste Pais, e com mais de cem mil pessoas inocentes mortas. Mesmo assim o mundo muçulmano não confunde um simples cidadão americano, como um idiota assassino.

E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Barack Obama e o secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, participam de cerimônia no memorial do Pentágono Foto: AP Barack Obama e o secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, participam de cerimônia no memorial do Pentágono Foto: AP
Rádio Arabesq
Veja Também

+ Populares

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.